Follow by Email

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Coletes argumentativos

Prof. Amilcar Bernardi 
A argumentação é dependente do poder de abstração do ser humano. Também depende do vocabulário e da habilidade de saber trabalhar com a lógica.   A argumentação transcende o que julgamos ser o mais verdadeiro em nós: os sentidos! Argumentar torna relativo até o que meus olhos veem, o que minha pele sente. Sob este aspecto prepondera quem argumenta mais eficazmente. Portanto, ficam em segundo plano os cinco sentidos e todas as testemunhas oculares. A argumentação é como uma máscara bonita onde o que mais vale é a aparência e a coerência. Uma pessoa de má fé, porém boa argumentadora, pode fazer prevalecer sua idéia como se fosse a melhor possibilidade. Assim como uma boa idéia de um bom sujeito, pode ser preterida porque seus argumentos não foram convincentes. Nossa sociedade (política)  é baseada em argumentos. Entendo aqui argumentar no sentido lato, ou seja, o desenvolvimento de uma discussão baseada em argumentos e contrapontos.
Os milhares de anos necessários para que nos tornássemos civilizados, criaram roupas verbais, verdadeiros coletes argumentativos à prova de balas. A política partidária então é um carnaval de fantasias feitas de dicções e contradições! Ninguém mais pode, após o invento da fala, aparecer nu de argumentos. Nenhuma alma de sucesso aparecerá despida de sujeito, predicado e cópula.
Quando o sol esta muito forte, as roupas e todos os artifícios para o embelezamento perdem sentido e são jogados fora.  O calor insuportável faz com que apareçamos como realmente somos, as maquiagens borram, as roupas caem, pois se tornaram insuportáveis. Os argumentos são assim. Quando o calor da discussão atinge magnitude, aparece de maneira bem crua o que de fato queremos, pensamos e acreditamos.  Inúmeras vezes, sem as roupagens bonitas dos argumentos, as agruras de que também somos feitos transparecem. É o calor interno que pode prejudicar nossa carapaça verbal.
Amo os argumentadores. Gladiadores das discussões. Armados com os dardos gramaticais e com as setas do vocabulário. No mundo civilizado, mundo das informações abstratas e on-line, melhor guerreiro será aquele que esgrimir melhor os argumentos. O homem nu de argumentos é um guerreiro desarmado. Pobre criatura fadada à morte sem defesa alguma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário