Follow by Email

domingo, 15 de dezembro de 2013

Para um dissoluta...


Para uma dissoluta...

 

Numa noite pagã

A belíssima cortesã

Desceu do seu tétrico altar...

E na orgia - a bela - a rir e a cantar

Entregava seu adorável corpo...

Como fantástico navio sem porto

Vagava entre luzes de mar em mar...

Mulher sem dono, linda medusa a vagar!

Perdido quem dorme no teu quente abraço!

Desgraçado quem descansa no teu lúgubre regaço!

Amável cortesã, encantadora e doce vampira...

Suga as tristezas, entre prazeres contra o casto conspira!!!!!!

Encantadoramente entrega-se a todos e a nenhum...

Ao luxo dos prazeres mais loucos ela se rende...

Devassa! Por enormes quantias caramente se vende!

Dissoluta! Amorável!Crudelíssima conduta!

Mesquinha! Adorável! Bela prostituta!

Monstro! Fada! Sem um remorso sequer!

Encantadora! O mal e o encanto em bela mulher!

Nenhum comentário:

Postar um comentário