Follow by Email

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Pessoas poço. Pessoas rio.


 
Prof. Amílcar Bernardi 

Tem pessoas com alma de poço.

São escuras. Úmidas. Escorregadias.

Não conhecem o sol. Só sombras.

O olhar é de poço. Ideais cavernosos.

A voz voa como morcegos. Sugam.

Pessoas com alma de poço tem musgo.

Não tomam sol. Afogam quem cai.

Pessoalmente não gosto de poços.

Prefiro rios. Tem peixes. Tem brilho.

Prefiro pessoas com alma de rio.

Refulgem. Brilham. Saciam. Tem correnteza.

Pessoas que são grandes rios são navegáveis.

Eu navego feliz nas pessoas de alma de rio.

Já as pessoas poço, fujo. Tenho medo de nelas cair.

 

 

 

Um comentário:

  1. Lindo poema, Amilcar! Parabéns! Eu tenho alma de rio e ultimamente ando amiguinha do sol.

    Abraços!

    Sonia Salim

    ResponderExcluir