Follow by Email

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Virtualidade...



Afago carinhos nas curvas do teclado...
Dedilho suspiros nas teclas sensíveis.
Digito tristezas e sutilezas digitais...
Vago entre conexões nos espaços cibernéticos
procurando o que perdi  offline!
Viajo teclando galáxias virtuais
a procura do que perdi na terra...
Meu amor analógico acreditei ser pesado demais
num tempo digital feito de efemeridades....
Plugado e vestido de softwares trafego
em oceanos infinitos e digitalizados...
Perdido eu teclo procuras!
Perdido conecto ausências!
Sem ti na terra procurei virtualidades...
Virtualidades tantas e infinitas
que continuo assim, teclando saudades
nos espaços enregelados
dos conectados na solidão!





Imagem:  http://www.vbridges.com/wp-content/uploads/2013/03/virtual_persona.jpg

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Não saber...

 Prof. Amílcar Bernardi
 

Não sei tantas coisas!

Cada passo é uma ignorância.

Cada dia é um suspense.

Quais coisas novas não saberei?

Não sei tantas coisas!

Gostaria de mais coisas para não sabê-las.

Cada saber é a morte de um não-saber.

Não gosto de mortes.

Quero aprender a não saber.

Não saber não ocupa espaço.

Não saber é leve e livre.

É preciso estudar muito para não saber.

É preciso estudo e coragem.

Eu quero aprender muito para saber pouco.

O que eu sei é passado.

O que eu não sei é futuro.

Quero aprender bem mais

para saber bem menos.