Follow by Email

domingo, 27 de janeiro de 2013

Tsunami de vida!

Pessoas morrem:
outras tantas nascem...
Para cada inverno
outros tantos verões...
Pessoas morrem
e órgãos são doados
multiplicando vidas...
Terremotos e guerras
entre ONGs e atitudes solidárias...
Tantas dores inexplicáveis
entre inexplicáveis milagres de vida....
Pessoas morrem
entre milhares que vivem...
Matas secas sem água hoje
entre muita vida nas águas seguintes...
Guerras, doenças, fratricídios
entre tsunamis de vida...
A morte morre com certeza;
a vida não: ela revive sempre...
Inundações de mães gerando,
vendavais de descobertas vitais,
avassaladoras longevidades...
O dia morre sempre ao entardecer:
somente para preparar as seguintes
irradiações de vida quando reviver o sol...
Tenhamos certeza que hoje o dia vai adormecer
para acordar amanhã num novo tsunami de vida!





Um comentário:

  1. Prof. Amilcar, embora haja escuridão, o seu poema nos encaminha à vida...

    ResponderExcluir