Follow by Email

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A CARTA FILOSOFAL


Prof. Amilcar Bernardi

 

 

SEM NADA PARA FAZER,
FIQUEI A ESCREVER.
PARA A ALMA DEI COMANDO:
AO MENOS UMA VEZ,
DE POESIA FARTA,
PRODUZA SIMPLES CARTA!
A BRANCURA VIOLENTANDO
NA FOLHA PURA E VIRGINAL
DE BRANCA PALIDÊZ:
UMA CARTA FILOSOFAL
NASCEU DE SUSTO E PARTO!
E MAIS UMA VEZ
NO SOMBRIO QUARTO
UMA FOLHA VIRGEM ENGRAVIDOU!
DEUS! GRÁVIDA FICOU,
GRÁVIDA DE MIM!
UM FILHO-POEMA NASCEU!
QUE LOUCURA ME DEU?
NEGUEI ATÉ O FIM:

O FILHO NÃO É MEU!

NEGUEI POIS SOU MATREIRO...
DISSE: SEU DELEGADO, A FOLHA ME TRAIU!
ASSIM QUE A INFELIZ PÔDE,
A INFIEL PARTIU
COM O CARTEIRO!
 

 

 

4 comentários:

  1. Eu amei o poema! Já recitei para ver como ficará com todos os sentimentos ancorados nas pontuações.
    Este filho-poema é seu, sim!!! É lindo demais! Só você poderia ser o pai. rs

    Sucesso!

    Sonia Salim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sonia tão querida! Adoro teus comentários. Eles são tão gostosos que viciam!

      Excluir
  2. Ficou lindo, foi realmente um parto sensacional. Nunca li algo igual. Me apaixonei diante de tanta sensibilidade. Já seguindo você para acompanhar tudo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Odila!

    Tenho certeza que a sensibilidade está bem mais em ti do que no poema! Obrigado pela gentileza!

    ResponderExcluir