Follow by Email

domingo, 18 de março de 2012

Tu és...

Amilcar Bernardi 

Como uma leve brisa
Ou como a garça esguia...
Como da nuvem a maciez
Ou como a languidez
De um dia de primavera...
Talvez como o perfume que impera
Nos jardins dos contos de fada...
Meiga, doce, em nada se compara
Essa alma de mágicos alvores...
Talvez como os belos amores
Das poesias dos românticos....
Ou, moça,  és como o cântico
nas igrejas santificadas!
Talvez sejas como as bem amadas
Dos trovadores medievais...
Quem sabe és como anjos celestiais,
Ou como harpa melodiosa...
És, com certeza, flor dengosa
De jardim florido e bem cuidado...
És como filha de um deus maravilhado
Ou como bela pintura de sutil pintor...
Como a pureza do mais puro alvor
Ou como o suave piano...
És o doce sussurrar: “te amo”
Da alma do poeta inspirado!
És a rosa de versos orvalhada,
És a luz, a  beleza e o calor
Da alma de um triste escritor...

Um comentário: