Follow by Email

domingo, 20 de novembro de 2011

Talvez...

Amilcar Bernardi 
Talvez como bruma
Ou como espuma
Em mar de sonho...
Na rima que componho
Talvez sejas a harmonia...
Quem sabe a sinfonia,
Talvez da harpa a leveza...
Quem sabe a sutil beleza
Do suspiro dos amantes...
Talvez as cores fulgurantes
Dos mágicos amanheceres...
Talvez de oníricos seres
Tu sejas a sutil alma...
Talvez a brisa que acalma
A pessoa que ama...
Quem sabe a chama
Que ilumina a vida...
Ou ainda da flor pendida
Sejas o último suspiro...
Talvez tua alma seja o papiro
Ancestral dos escritores...
Talvez teus doces esplendores
Sejam uma mágica tinta...
Talvez tua alma pinta
Todos os belos arrebóis...
Ou ainda sejas como sóis,
Astros que iluminam o universo...
Ou ainda, talvez sejas o verso
De um poeta triste na sua pequenez...
Ai Deus! Talvez... talvez... talvez...

Nenhum comentário:

Postar um comentário